Resenha – Lennon Murphy em “5:30 saturday morning”

Lennon MurphyVamos lá, pessoas!

Aviso: Se você quer um resumo da resenha, vá para o final dela. O último parágrafo resume bem o que penso.

Hoje vou mudar os ares desse blog. Pelo menos em termos de sonoridade. Lennon Murphy tem cds bem mais recentes que esse, mas é muito difícil de achar. Pra ter uma ideia, só consegui esse cd porque a @jujubalandia topou algumas trocas durante o LuluzinhaCamp. Mas, enfim, vamos ao que interessa. Falando sobre Lennon Murphy, que nada tem a ver com John Lennon (nada além do nome, pelo menos), ela começou em 2001 com o cd que resenharei. O cd mais recente dela data de 2006. Em seu myspace se auto define como Metal e Alternativo. Eu vejo com algo entre o hard rock e o metal, mas tudo bem. O importante é que é bom.

Começamos o cd com “Property of goatfucker”. Com alguns efeitos eletrônicos e guitarra pesada na introdução, o vocal de Lennon entra e dá uma leve acalmada, mas mantém a densidade. O refrão volta com o peso da faixa. Pra quem gosta de new metal, cheio daqueles efeitos de scracth em pickups, é um prato cheio. Só o vocal dela não remete tanto a esse estilo. Ai, em seguida, vem “Trying to make me”. Novamente efeitos eletrônicos, mas dessa vez a música é letárgica. A bateria é lenta, a guitarra mais ainda e o baixo quase não aparece. Bem, isso até o refrão, onde a energia aparece um pouco mais. Ainda assim, a letárgia é forte se comparamos a energia da trilha anterior. A terceira das 12 faixas é “Brake of your car” e vem com guitarra bem pesada, teclado sintetizado e bateria apagada mas rápida. O vocal vem com efeito, que somem no refrão e mostram uma música mais animada, com uma tendência levíssima pro pop. Digamos que é a mais fácil de ouvir. A faixa 4 vem lenta, baixinha. “My Beautiful” tem guitarra e alguns efeitos, e a voz de Murphy tá tão baixinha que fica difícil até entender o que ela tá cantando. No refrão, um pouco mais de energia e peso na guitarra. Até agora é a faixa com menos efeitos eletrônicos, mais cara de metal. E o peso vem com tudo em “Those days”. Guitarra totalmente em destaque e baixo aparecendo mais. Parece que o cd vai se tornando mais “tradicional” conforme progridem as faixas. E chegamos a metade do cd com “Asking you”. Introdução toda no piano, bateria destacada acompanhando o vocal de Lennon e dando uma levada mais romântica. Outra das músicas fáceis de ouvir, e que conta com apenas alguns efeitos eletrônicos, principalmente no backvocal.

Com ares mais soturnos dados pelos efeitos eletrônicos começa “Morning”. Essa vem cheia de peso, metal de fato. Ainda assim o vocal de Lennon é limpo, e contraste de maneira interessante. O baixo fica apagado diante do peso da guitarra, que em um momento aparece cheia de efeito e com riffs agudos e leves, se unindo ao peso que a precedeu. Do meio pro fim da música, o baixo toma um destaque inesperado e muito legal. “I Hear” vem novamente com ares letárgicos, efeitos e guitarra numa levada constante. O baixo toma mais destaque desde cedo, mas o perde para a guitarra no refrão. Quase no final, a música da uma quebrada e muda o estilo, ficando mais densa e mais pesada. A nona é “Thank You” e vem mais animada, com vocal mais agudo. É outra das fáceis de ouvir, com uma tendência ao pop-rock difícil de negar. Ainda mais com a guitarra constante e fácil. “Couldn’t Breathe” volta com o peso, com os efeitos e toda aquela coisa de metal que a Lennon trás em suas músicas. O vocal fica oscilando entre algo sussurrado e momentos mais limpos, mais claros. Esse momentos claros trazem junto um instrumental mais leve. A música ganha animo com o passar dela. A penúltima é “These days”, que vem com uma introdução com efeitos e fade-in. A guitarra logo aparece, pesada e ritmada. A música, ainda que pesada, não é densa. Nem com o gutural que tem nela consegue dar aquele ar mega malvado de metal. Termina meio fraca, com fade-out de efeitos. E enceramos o cd com a faixa-título. Introdução no piano digna de hard-rock romântico (?). E fica só voz e piano durante um bom tempo. Música leve, fácil de ouvir, mas um tanto quanto enjoativa. O vocal de Lennon fica bem baixo em alguns momentos. O piano é delicioso mesmo.

O cd tem quase 50 minutos, onde Lennon Murphy mostrava o que tinha a oferecer. É bem legal pois, para um primeiro cd, ela mostra uma diversidade muito boa. As músicas mais fáceis parece um pop-rock, já outras faixas tendem ao metal mais pesado. Toques de new metal aparecem em algumas faixas e, pra fechar o cd, a garota detona no piano. Cd recomendado para quem curte músicos versáteis.

MySpace – Lennon Murphy

“Where do i fit in / Where is my place here / What do i need to say, what do you want to hear / Where do i fit in / If she’s in your bed / Where is my beautiful” (My Beautiful – Lennon Murphy)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s